O VÔO DA ÁGUIA NO CÉU ~ Rádio Restitui Gospel

Nossas Redes Sociais - Compartilhe

TV RESTITUI

0

O VÔO DA ÁGUIA NO CÉU

O VÔO DA ÁGUIA NO CÉU

Por: Jânio Santos de Oliveira




Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus no Estácio



Rua Hadok Lobo, nº 92 - Pastor Presidente Jilsom Menezes de Oliveira
Pv 30.18-19


Texto: "18 Há três coisas que são maravilhosas demais para mim, sim, há quatro que não conheço: 19 o caminho da águia no ar, o caminho da cobra na penha, o caminho do navio no meio do mar, e o caminho do homem com uma virgem".

INTRODUÇÃO:
1. Todos nós admiramos a águia, ave notável "...pelo seu tamanho, força, figura imponente, agudeza de vista e vôo poderoso" (Dic. Michelas–UOL). Devido ao seu vigor e imponência, ela pode designar pessoas de grande engenhosidade e perspicácia. Lembramo-nos aqui, do grande estadista brasileiro Rui Barbosa, que em razão de sua privilegiada inteligência demonstrada na Segunda Conferência de Paz em Haia (1907), recebeu a alcunha de "Águia de Haia".

2. Em razão destas qualidades a águia pode ser um símbolo significativo do cristão verdadeiro. Certamente, já ouvimos muitos sermões envolvendo comparações entre a maneira de ser da águia e a maneira de ser daquele que serve a Deus. Neste primeiro capítulo, queremos enfocar o "voo da águia", fato deslumbrante para o escritor de Provérbios.
3. Vejamos quais são as características do voo deslumbrante da águia, que podem se aplicar figurativamente a cada um de nós como filhos de Deus:

I – O VOO DA ÁGUIA NOS SUGERE QUE O VERDADEIRO FILHO DE DEUS DEVE TER UMA MENTE VOLTADA PARA COISAS ELEVADAS
1. Sabemos que a águia vive nas alturas e constrói seu ninho nos mais altos picos!

2. Embora sejamos crentes, não podemos perder de vista que estamos inseridos neste mundo. Quer queiramos, ou não, somos do mundo e fazemos parte dele. Quando Jesus orou a "oração sacerdotal", fez a seguinte observação acerca de seus discípulos: "E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo...", Jo 17.11. Observe a expressão "eles estão no mundo". O mundo é nosso campo de vida e ação!

3. Porém, embora pertençamos a este mundo não precisamos e nem podemos nos envolver com suas práticas pecaminosas. Na mesma oração Jesus disse ao Pai: "Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal", Jo 17.15. Esta palavra de Jesus nos relembra o fato de que somos cidadãos dos céus e por esta razão não podemos permitir que o mal nos domine, e ainda devemos lutar para que nossas mentes sejam voltadas para o alto, para os valores mais elevados, para aquilo que é eterno.

4. Com certeza, a Palavra de Deus nos adverte quando ao fato de pensarmos nas coisas elevadas:

a) As "coisas do alto", devem ser objeto de nossa constante busca, "PORTANTO, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus", Cl 3.1. Observe que Paulo está falando da ressurreição de Cristo, dizendo que todos aqueles que se tornaram filhos de Deus pela fé, dela participaram espiritualmente. Ressurretos com Cristo através do "novo nascimento", nossa busca agora não deve ser concentrada em valores terrenos, mundanos, mas de valores celestiais.

b) Hoje podemos pensar nas coisas do alto, porque recebemos através do Espírito Santo a "mente de Cristo", "Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo", 1 Co 2.16. Devemos considerar nossa maneira antiga de pensar como algo devidamente ultrapassado. Paulo nos adverte de maneira clara o que agora deve ocupar nossos pensamentos: "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai", Cl 4.8.

c) Porém, para manter nossa mente voltada para os valores do reino, ela precisa ser constantemente renovada, transformada, "E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus", Rm 12.1. Somente experimentaremos a perfeita vontade de Deus, permitindo que nossos pensamentos sejam devidamente transformados pela ação do Espírito Santo em nós.

5. Assim como a águia voa alto, precisamos também viver acima dos padrões deste mundo!

II - O VOO DA ÁGUIA NOS SUGERE QUE O VERDADEIRO FILHO DE DEUS DEVE TER UMA REAL VISÃO DOS VALORES DO REINO
1. Outra característica da águia é sua visão privilegiada. Ela pode ver uma presa de tamanho minúsculo numa terra arada, estando a três mil metros de altura.

2. Como filhos de Deus, precisamos também aguçar nossa visão espiritual. Muitos que se dizem cristãos apresentam uma visão míope dos valores do reino de Deus. São crentes que não cresceram em sua vida cristã e apresentam deficiências espirituais crônicas. Assim como o atleta olímpico tem uma visão clara de seu objetivo, que é cruzar a linha de chegada em primeiro lugar, nós também devemos ter um objetivo específico: "olhar para Jesus" – "Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus", Hb 12.2.

3. Dependendo de nossa conduta visionária, os valores do reino terão ou não a primazia em nossa vida. Observemos alguns textos da Escritura que nos mostram o valor de uma visão espiritual correta:

a) Aquele que tem uma visão correta não olha para traz, Lc 9.62, "E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus". O arado, instrumento de lavrar a terra, representa nosso trabalho e investimento no reino de Deus. O objetivo daquele que manuseia o arado é trabalhar obedecendo a uma linha reta, num vai e vem constante, até que toda gleba de terra esteja devidamente preparada ao plantio. Qualquer descuido, qualquer desvio no olhar, pode comprometer o trabalho. Assim também nós que militamos no reino precisamos ter uma visão clara dos valores pertinentes ao serviço de Deus.

b) Aquele que tem uma visão correta, não é apegado aos bens materiais, Mt 19.21, "Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me". O contexto do presente versículo nos mostra um jovem fazendo uma pergunta importante ao Senhor: "Que farei para conseguir a vida eterna"? Depois de um importante diálogo, Jesus chegou à conclusão de que aquele jovem era prisioneiro de seus bens materiais. Por esta razão sugeriu-lhe que vendesse seus bens, distribuísse aos pobres, para ter a garantia de vida eterna. Não querendo abandonar suas posses materiais, o moço foi embora muito triste, o que ficou claro que ele tinha uma visão distorcida do reino de Deus. Muitos de nós, agimos da mesma forma quando temos que fazer opção entre os valores do reino e os valores mundanos, o que demonstra de maneira clara o tipo de visão que temos.

c) Aquele que tem uma visão correta sabe onde quer chegar, 2 Tm 1.12, "Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia". Temos em Paulo um exemplo significativo do que é ter uma visão correta dos valores do reino. Observe como ele é contundente: "eu sei em quem tenho crido"! Mesmo vivendo em intenso sofrimento e vergonha em razão de seu amor a Jesus, Paulo mantinha uma conduta irrepreensível, uma vez que havia nele uma visão clara do reino, que sobrepunha qualquer valor mundano!

4) Sem uma visão clara do que somos e queremos não vamos chegar a lugar algum. Todo filho de Deus precisa saber para onde caminha. Assim como Paulo prosseguimos "...para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus", Fp 3.14.

III - O VOO DA ÁGUIA NOS SUGERE QUE O VERDADEIRO FILHO DE DEUS, EMBORA TENHA SUA MENTE NOS CÉUS, SEUS OLHOS NÃO SE AFASTAM DA TERRA
1. A águia alça seu voo na tentativa de encontrar alimento para si mesma e para seus filhotes. Embora esteja nas alturas, sua fonte de alimentos é a terra.

2. A Palavra de Deus nos mostra como o Filho de Deus, deixou a glória celeste para descer ao mundo como salvador do homem: "Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo", Jo 6.51. Ao descer para terra por obra e virtude do Espírito Santo, Jesus, mesmo "...sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, 7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; 8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz", Fp 2.6-8. Tudo Ele fez tendo em vista o benefício do homem, objeto do amor eterno de Deus!

3. Também nós como crentes, agora regenerados pela ação da Palavra e Espírito de Deus, mesmo estando "ressuscitados com Cristo" (Colossenses 3.1) e "assentados nas regiões celestiais" (Efésios 2.6), não podemos tirar nossos olhos da terra, que é o nosso campo de ação. Nossa vida foi transformada pelo poder de Deus para sermos usados como instrumentos na libertação e salvação de vidas. Veja o que diz a Palavra de Deus:
a) A visão de Abraão, "9 Pela fé habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa. 10 Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus", Hb 11.9-10. Mesmo tendo vivido num tempo diferente do nosso, Abraão tinha consciência de que sua verdadeira pátria não era Canaã – considerada a "terra da promessa", mas conforme o próprio texto nos diz ele aguardava a "...cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus". Tinha ele uma visão clara de sua postura neste mundo, que era a de ser uma bênção, ou seja, representar Deus para os povos de seus dias. Tinha certeza de que através dele seriam "...abençoadas todas as famílias da terra", Gn 12.3.

b) Somos embaixadores do reino, "De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus", 2 Co 5.20. A função principal do "embaixador" é representar sua nação numa outra nação que não é a sua. Embora sejamos cidadãos dos céus pela graça de Deus, temos a responsabilidade de representar os céus na terra! Vivemos na terra, mas não pertencemos a ela! Nossa função é trazer o céu para a terra!

c) Porém, um dia seremos tirados da terra para habitar em nossa verdadeira pátria, "Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo", 2 Tm 4.6. Observe a expressão "...o tempo de minha partida está próximo". Paulo antevia sua morte e o recebimento de sua herança na eternidade. Suas convicções são descritas nos versículos seguintes: "7 Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 8 Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda" 2 Tm 4.7-8. Enquanto estamos neste mundo, precisamos viver como cidadãos dos céus, como representantes legítimos de nossa pátria celeste. Porém, quando chegar o tempo de nossa partida, que possamos declarar como Paulo: "combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé".

4. Não nos esqueçamos: Vivemos neste mundo como em terra estranha, onde precisamos representar Deus legitimamente! Que ao sermos transferidos para a eternidade, tenhamos a consciência do dever cumprido.


1. Vimos neste capítulo como a águia pode ser uma figura do verdadeiro filho de Deus, pois as características de seu voo tem a ver com algumas características daquele que serve ao Senhor. Assim como o voo da águia ocorre nas alturas, nós também devemos ter nossa mente fixada nas coisas celestiais; sua visão privilegiada - capaz de enxergar um pequeno rato numa terra arada a três mil metros de distância, aponta para o fato de que precisamos ter a real visão do reino, dos valores eternos; seu olhar constante para a terra na busca de alimentos, nos fala de nossa missão terrena, onde vivemos como representantes de nossa verdadeira pátria, a cidade celestial.

2. Que possamos viver como verdadeiros cidadãos dos céus, cumprindo nossa missão de embaixadores do reino!

0 comentários:

Postar um comentário